Rá - O Deus Sol

No paganismo, os Deuses e Deusas estão ligados a natureza.
E no panteão Egípcio não é diferente, Deus Rá que pode ser visto no Sol que viaja pelo firmamento, no Nilo das férteis inundações, e até mesmo no escaravelho do esterco, que arrasta sua bola de excrementos.
E assim começamos a falar de Rá, mestre de tudo!

É o Deus primordial que esta na origem de tudo. É o senhor do infinito, criador do Céu e da Terra, o primeiro a chegar à vida, antes de qualquer outra coisa, aquele que criou a si mesmo.



Um Deus inspirado no Sol.
É um dos Deuses mais importantes do panteão egípcio. Rá está associado a criação, seja ela original (criação do mundo) ou anual, com o despertar da natureza na primavera, quando Rá vela por ela. Portanto, é venerado como criador e protetor. É o senhor das estações mas também o juiz do mundo divino e do mundo terrestre.
Rá pode ser representado conforme a cidade ou estação, pode aparentar um leão, um chacal ou um falcão. Quando representa o nascer do Sol pode tomar forma de um menino ou de um bezerro com manchas pretas. Já a fase noturna de Rá pode apresentar características de um carneiro.

O percurso que o Sol faz todos o dias, do nascer até o por do Sol é o mesmo que faz Rá desde a criação.
Está viagem de Rá também é a viagem feita pelo homem em uma vida, nascimento, até a morte que o espera.

A cada manhã Rá se levanta no Oriente ao som dos cantos e danças, abre seu olho brilhante e sobe na barca do dia (Mandjet) que navegará pelo céu até a noite. Chegando então no Ocidente, passa a barca da noite (Mesektet), a bordo da qual cruzará o mundo inferior, um mundo noturno e perigoso onde habita a morte.
Rá tem então tem a aparência de um carneiro ou de um homem com cabeça de carneiro. Durante seu percurso noturno reanima Osíris. Todos os egípcios alimentam um desejo: ser devolvido a uma nova vida, como ocorreu com Osíris, graças aos bons cuidados de Rá.

Criador do mundo e dos Deuses
Depois de se levantar, Rá se coloca na colina primitiva e levanta-se sobre a pedra 'benben',
. Os egípcios situam este acontecimento em Heliópolis, cidade de delta do NIlo, Esta pedra foi o modelo dos futuros obeliscos, pedra sobre a qual o Sol parece se pôr a cada dia.

De Num oudo Nada.
Rá é um demiurgo, o que significa que é seu próprio criador. Nasceu de um imenso oceano primitivo e inerte chamado Num. Como os egípcios divinizavam Num, este não demorou em ser personificado, de modo que passaram a considera-lo pai de Rá. Esta último, então, já não tinha nascido do nada.

As Nove Divindades
De Rá saiu o resto da criação. Shu (o Ar) e Tefnut (o principio úmido) engendraram um novo casal: Geb (a Terra) e Nut (o Céu). Deste casal desarticulado nasceram outras duas divindades à posteridade: Osíris - Ísis (casal de virtudes positivas) e Seth - Néftis (casal de virtudes negativas). Este conjunto formado pelas nove divindades é denominado Enéade (Pesedjet em Egípcio).

Veja mais matérias do Novembro Egípcio no aWicca clicando Aqui!
Siga-nos os Bons! Twitter do aWicca
Assine nosso Feed e receba no seus favoritos novas matérias!
Entre em contato! Pode mandar, a coruja entrega

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não? Quer acrescentar algo? Comente!!!