Centro de Referência de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos para a Diversidade Religiosa é lançado em Brasília !

A reunião de lançamento do Centro de Referência de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos para a Diversidade Religiosa – CRDHDR se realizou nessa sexta-feira, dia 13 de novembro, no Auditório Tom Jobim, no Templo da Boa Vontade em Brasilia, DF. O CRDHDR é uma promoção da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República - SEDH e realização da União Planetária. Estava presente, entre outras autoridades, a presidente da Abrawicca, Mavesper Cy Ceridwen.

A reunião foi comandada pelo Dr. Orlando, da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, e colheu informações e sugestões de diversas denominações religiosas para a promoção da elaboração e implementação do Plano Nacional de Enfrentamento à Violência por Motivação Religiosa, bem como mecanismos para promover a implantação e instalação do Conselho Nacional de Diálogo Inter-religioso e Direitos Humanos, entre outros pontos.

A constituição deste Centro de Referência, bem como muitas das ações que estarão em curso, são fruto de uma articulação e discussões que já vem sendo trabalhada há algum tempo, mais especificamente desde a constituição da Cartilha da Diversidade Religiosa e Direitos Humanos, reunindo diversas lideranças religiosas, e que envolveu nas discussões, representantes de organismos como o a Abrawicca, o CONIC - Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil, a Comunidade Bahá’í, o CONUB - Conselho Nacional de Umbanda do Brasil, a CENACORA- Comissão Ecumênica Nacional de Combate ao Racismo, a WAMY - Assembléia Mundial da Juventude Islâmica, a URI - Iniciativa das Religiões Unidas Brasília, entre outras, e órgãos de Estado, em especial a Secretaria.

O site do CRDHDR é (www.dhdiversidadereligiosa.com.br), ainda em está em construção na sua totalidade, porém já constam, informações sobre o Centro, legislações e links com diversos organismos, desde igrejas a centros de pesquisa, além de conselhos e órgãos ligados aos direitos humanos, entre outras informações.

Cinco pontos principais de discussão:

1) Reivindicação pela erradicação do vocábulo "seita" do diálogo inter-religioso - Segundo Mavesper, a palavra seita vem sendo utilizada para desqualificar e minorizar a importância e o respeito ás religiões minoritárias. Manter o uso dessa palavra em órgãos onde se pretende erradicar a preconceito religioso é uma violência. O ponto foi acatado pelo representante do SEDH, que concordou com a observação e agradeceu a colaboração, afirmando que doravante essa palavra não mais será utilizada para designar nenhuma denominação religiosa.

2) Ação governamental geral e inequívoca para retirada de todos os símbolos religiosos de repartições públicas e impedimento de utilização de espaços em prédios públicos para cultos de determinadas religiões, excluindo as demais.

3) Participação das religiões minoritárias em atividades do cerimonial presidencial, por exemplo, atos públicos, e posse do novo Presidente da Republica. O representante do SEDH afirmou que tomará todas as providências para que o cerimonial do Itamarati convide todas as denominações que participam do dialogo inter-religios para a bênção da posse.

4) Discussão a ser levantada com todas as religiões sobre o necessário equilíbrio da garantia de que as religiões que têm vocação para a conversão possam atuar livremente, MAS respeitando o direito de pessoas que já fizeram sua opção religiosa. Mavesper crê que este é o maior diálogo a ser feito nesse início de trabalhos, uma vez que as religiões majoritárias, que são religiões de conversão em sua maioria, precisam limitar as atividades de seus membros que não raramente se tornam agressivas e fonte de violação dos direitos constitucionais das minorias religiosas e dos não religiosos.

5) Observação sobre a composição dos grupos e comissões que coordenam, no governo, o dialogo inter-religioso - Mavesper afirmou que é imprescindivel que essas comissões espelhem a diversidade, sendo compostas por membros de diferentes denominações. Se as comissões forem formadas somente por membros das religiões majoritárias (o que, infelizmente, vem ocorrendo), as denominações minoritárias não se sentem acolhidas no diálogo e isso acaba gerando desanimo e falta de participação. "Se as Comissões forem formadas apenas por membros de igrejas majoritárias, parece que se esta apenas fingindo que se cumprem as determinações constitucionais e não há real abertura para se acolher a diversidade”, afirmou Mavesper. O representante da Secretaria garantiu que o dialogo é para valer, e que os órgãos serão constituídos por membros de diferentes denominações.

Houve também no evento gravíssima denúnica de que os esotéricos estão sendo perseguidos e assassinados em Alto Paraíso, Goiás, ou coagidos com ameaças de morte a se tornarem cristãos. Os crimes estariam, segundo a denunciante, sendo prepetrados por fanáticos evengélicos, com a conivência das autoridades locais, elas mesmas evangélicas. A Secretaria tomará providências imediatas para investigar as denúncias.

A ABRAWICCA e o blog AWICCA agradece a todas as pessoas, de todas as religiões participantes que, com seus membros, está envolvida no diálogo inter-religioso para criação de uma cultura de paz. Estamos escrevendo a história do Brasil e geraremos para nossos filhos uma sociedade mais harmônica, que veja na diversidade e seu respeito a expressão da Divindade.

Fonte:abrawicca.com.br


Mais Informações:

http://diversidade-religiosa.blogspot.com/2009/03/iniciativa-das-religioes-unidas-uri.html

http://www.vivario.org.br/uri/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=115&sid=3&UserActiveTemplate=_br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Não? Quer acrescentar algo? Comente!!!