Como contar à sua família que você é um(a) bruxo(a)

Um dos momentos mais difíceis na vida de qualquer pagão adolescente é contar aos pais sobre a sua opção religiosa. A não ser que você tenha o privilégio de nascer em uma família pagã, os problemas uma hora ou outra começam a aparecer.
Este texto tem como função dar dicas para quem tem dificuldades em lidar com essa situação. Ouço muitas pessoas dizerem “minha mãe é evangélica e jamais me aceitaria como bruxa” ou então “minha mãe jogou fora todos os meus livros de bruxaria”, e assim por diante. Já passou por isso ou tem medo de passar? Continue lendo!
O fato é que este texto pode parecer inútil para muitos sacerdotes ou sacerdotisas veteranos na Arte. É verdade: temos muitos problemas com adolescentes que literalmente brincam com a Bruxaria e acham que é a religião deles para sempre. O mais triste é que a maioria nem sabe que a Wicca, por exemplo, é uma religião. Se bem que isso tem mudado um pouco ultimamente, com a exposição maior.
É claro que entre os adolescentes há aqueles que realmente estão interessados em um aperfeiçoamento interior, mas convenhamos: a maioria não está. Então, pense bem antes de sair por aí se dizendo bruxa ou bruxo! Não precisa sair alarmando. Se o fizer, sua credibilidade tem grandes chances de ir por água abaixo rapidamente.
Alguns conselhos básicos
Se você tem entre 11 e 17 anos, espere pelo menos três anos para contar a alguém que você se decidiu pelo Paganismo. Não, eu não estou brincando. Você pode achar que a Wicca é a coisa mais perfeita que você já encontrou e que não há dúvidas de esta ser a sua religião. No entanto, você pode pensar diferente amanhã. Isso não é uma estimativa, é uma possibilidade real. Você não sabe o que estará pensando daqui a três anos e sua cabeça pode mudar completamente. Assim, se a sua vontade de ser bruxa for realmente muito grande, e não uma empolgação passageira, você não terá problemas em esperar. Enquanto isso, você pode acessar sites sobre o assunto, entrar em listas de discussão e chats. Se seus pais são mais liberais, você poderá até mesmo comprar livros e deixá-los no seu quarto numa boa.
Comprando livros
É claro que o estudo e a leitura de livros importantes é essencial, mas não vou ignorar a realidade da maioria dos jovens. Quem tem entre 11 e 17 anos geralmente não trabalha e o dinheiro que tem é da mesada. Se você quiser gastar sua mesada em livros, voilá! Isso pode lhe dar uma boa indicação do quanto a Bruxaria é importante ou não para você. Mas tome cuidado. Muitos pais são intolerantes, todos sabemos disso. Não é por mal: eles querem o nosso bem. Mas, como muitas pessoas, temem o desconhecido. Se você achar que, explicando sobre a religião, eles entenderão, então o faça. Porém, se você achar que não deve, pra que se complicar? Dê tempo ao tempo: se você mostrar, aos poucos, que a Wicca é uma religião como qualquer outra, você não terá problemas.
Uma palavra sobre “contar aos pais”
Gostaria de deixar bem claro aqui que não estou fazendo apologia à mentira de forma alguma. O ideal, obviamente, é ter uma boa conversa com seus pais sobre a Wicca ou a Bruxaria, sendo sincero com relação à sua opção religiosa. Não discuta. Não brigue. Sei como é quando alguém vem criticando a Bruxaria, fruto daquela visão deturpada que a maioria das pessoas têm por não conhecer mesmo. Tente se controlar. Quanto mais você se alterar, mais aparente ficará para os seus pais que a sua religião não é séria. Veja a seguir um modelo de carta que você pode imprimir e mostrar para os seus pais (texto retirado do site da Abrawicca).
“Carta aos pais,
Sei que vocês devem estar assustados com essa tal Wicca, e desejam o melhor para seus filhos, aliás como todos nós que somos pais e mães. É compreensível que vocês desejem que seus filhos sigam a mesma orientação religiosa que vocês, porque todos desejamos que os filhos sejam nosso espelho. Mas nossos filhos não são nossos, não nos pertencem: vocês terão que aceitar a escolha pagã de seus filhos, como eu mesma, Sacerdotisa pagã, terei que aceitar se minha filha resolver se tornar cristã… Saibam que enquanto seus filhos estiverem seguindo os princípios da wicca, não realizarão nada de “mau” por seus padrões, porque nossa noção de responsabilidade pessoal e conduta é muitas vezes mais exigente que a de vocês mesmos e sua religião.
Aos pais não pagãos de jovens pagãos eu desejo a tranqüilidade de poderem verificar em seu filho as mudanças provocadas pela Wicca (obviamente se eles estiverem seguindo preceitos de wiccanianos sérios). Sei que o comportamento de seus filhos melhorará sensivelmente, se eles forem dedicados wiccanianos, da média do comportamento de outros jovens não pagãos. Se eles estiverem praticando nossos preceitos, estarão exercitando o auto-conhecimento, a auto-transformação para alcançar o equilíbrio, estarão tratando as pessoas com mais compaixão e serão muito mais equilibrados e serenos do que a média dos outros jovens da mesma idade. Vejam, dêem tempo ao tempo: a Wicca não fará mal algum a seus filhos, se essa é a escolha sincera de seus corações.”
Como agir diante do preconceito dos pais
Coloco aqui outro trecho retirado do site da Abrawicca:
“Compreendam que até a maioridade seus pais são responsáveis por vocês e têm até mesmo do direito de tirar-lhes os livros de Wicca e os objetos rituais. Não vejam isso com ódio, vejam como uma prova a passar em sua busca do Caminho dos Antigos, porque é isso realmente o que é. Se vocês estão passando por isso, mas ouviram o chamado da Deusa, ela cantará tão alto em seus corações que nenhuma violência, nem nenhuma privação ou castigo a fará calar. Por isso, mesmo que tempos difíceis se apresentem tenham certeza de uma coisa: um dia, seus pais compreenderão vocês e mudarão de atitude. Basta que a vontade de vocês seja sincera, seja real. E se for, nada tirará vocês do Caminho.”
É um conselho bastante inspirador, mas difícil de seguir. É difícil ter paciência quando sofremos algo injusto. Porém, é a única solução. Travar uma verdadeira guerra com seus familiares foge aos preceitos pagãos e não vai lhe fazer nada bem. Pelo contrário, pode piorar ainda mais a sua situação. Segue o resto do texto:
“Compreendam que os atos de seus pais não são - mesmo que vocês os percebam assim, - uma agressão a vocês. São atos de amor: eles querem o melhor para vocês e , talvez, precisem de algum tempo até perceberem que o que eles chamam de melhor talvez seja diferente para vocês. Mas um dia, com o amor que eles têm por vocês, eles não ficarão cegos às suas escolhas.
Lembre-se: você é o maior responsável pelo que seus pais saberão do caminho pagão. Saiba responder as questões deles, faça com que eles se informem, se possível. Seu comportamento é um cartão de visitas de sua religião: seja um wiccaniano de verdade, lute pelo seu aperfeiçoamento todos os dias, compreenda as outras pessoas, não seja preconceituoso , não agrida sem motivo, NUNCA faça de sua religião uma arma contra ninguém.
Não deixe que a Wicca seja um argumento que disfarce outros tipos de problemas, como a disputa entre irmãos ou a briga entre pais separados, onde esse pode ser um argumento de que “o outro” está criando o filho errado. Se você estiver em uma situação dessas, nunca deixe a wicca ser argumento para começar brigas e disputas.
Ame os Deuses e celebre os ciclos da Lua e a Roda do Ano como você puder. Ninguém é dono de seus pensamentos, nem de sua alma. Você é livre!”

4 comentários:

  1. Obrigado gente, me ajudou muito. Acho que quando eu completar 18 anos - Vai demorar já que tenho 13 - contarei para meus pais. Obrigado novamente.
    Isabella

    ResponderExcluir
  2. Obrigado. Eu tenho 17, é muito difícil guardar para mim o quão bem a bruxaria está me fazendo, mas sempre encontro conforto nesse e em outros sites, realmente, muito obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Tenho 20 anos, sou casada e morro de medo de contar para meus pais.
    Desde os 12 anos que estudo sobre a Wicca e nesse meio tempo tentei frequentar igrejas cristãs, já que a familia toda é (se bem que cada -pedaço é de uma igreja, tenho testemunhas de jeová, congregação, católicos e espiritas tudo num mesmo teto). Mas nunca me senti verdadeiramente lá, sabe?
    Meu companheiro aceita numa boa, e se precisar de ajuda com algum ritual ele vai me auxiliar (ele vive me trazendo velas e qualquer coisa que eu precisar). Apesar do meu pai não seguir nenhuma religião, ele é muito preconceituoso (em todos os sentidos possiveis), e nosso convivio é complicado por natureza, então eu tenho muito medo de assumir minha religião - apesar que foi ele que me ensinou todos os preceitos de que a natureza é uma força viva à qual devemos respeito.
    Eu e minha mãe temos uma relação mais estreita, gostamos de tudo o que é esotérico, mas nossa ultima (e talvez unica) briga foi porque ela queria que eu me batizasse católica. O que eu achei estranho e um pouco hipócrita, já que ela acredita em reecarnação e outras vertentes espiritas. Porém eu continuo com um pouco de receio, ela é meio surtada e nunca sei o que esperar.
    Para falar a verdade, meus pais ainda não sabem que sou bissexual (já deixei minhas aventuras para tras, mas sou sim, bi). Como tenho um irmão pequeno tenho medo de como essas revelações podem afetar minha convivencia com eles e especialmente com o pestinha (<3).
    Ainda não senti a vontade louca de falar, o impeto, sabe? Sei que esse dia vai chegar, e quando ocorrer, estarei pronta para encarar as consequencias, porém ainda não é a hora.
    Vou seguir com minha devoção e dedicação, e quando os Deuses me iluminarem, eu contarei.
    Espero que meu relato seja util a alguém.
    Blessed Be!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações Carol.
      Ficamos muito felizes com seu comentário e bastante interessados em uma participação sua em um vídeo do aWiccaTV. Caso tenha interesse entre em contato conosco através do: contatowicca@hotmail.com.

      Esperamos sua resposta.
      Blessed be

      Excluir

Gostou? Não? Quer acrescentar algo? Comente!!!